SQS Consultores Associados

Artigos


COMPREENDENDO O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

 

Adriana Leocádio

Para sobreviver aos tempos modernos, onde a oferta de produtos e serviços está cada vez mais acirrada, principalmente pelo domínio e poder das griffes internacionais, compreender o consumidor é uma necessidade vital, reconhecida não apenas para as empresas, mas para toda organização que se assuma como orientada para o mercado. Até mesmo Peter Drucker , o famoso pai da administração ,já havia dito isso, quando, em outras palavras, afirmou que em marketing, os profissionais devem reconhecer que "o consumidor é o rei". Sob este contexto, surge uma necessidade cada vez mais crescente de pesquisar o comportamento do consumidor a cerca das empresas e gestores no novo milênio.

A moda é um dispositivo social, portanto o comportamento orientado pela moda, é fenômeno do comportamento humano generalizado e está presente na sua interação com o mundo. É necessário começar a avaliar o comportamento do consumidor brasileiro em nuances. Não podemos tomar como verdadeiras e afirmativas, as analises extraídas de estudos mercadológicos realizados no eixo Rio - São Paulo.

Ao longo da vivência nessa área, tive a oportunidade de ver produtos ou marcas campeãs de qualidade e imagem, obterem total fracasso quando são implementadas nas capitais do norte e nordeste do Brasil. E isso acontece principalmente no segmento de vestuário e cosméticos.

O nascimento do comportamento do consumidor

Este campo surgiu logo em seus primórdios, como estudo nas décadas de 60, mais precisamente há 26 anos, em 1968, através da influência de escritores como Newman, Katona, Ferbera, Howard & Engel (Apud Engel, Blackwell & Miniard, 2000) que visavam identificar as variáveis que identificam o consumidor, bem como outras variáveis:

· Suas atitudes inconstantes perante diferentes produtos;

· O comportamento de compra;

· As razões de causa e efeito que reagem à persuasão.

O comportamento de consumo pode ser simplificado como o comportamento que os consumidores mostram quando estão procurando, comprando, usando, avaliando e determinando produtos, serviços e idéias. O consumidor no mundo inteiro quer ser tratado como um rei e esta não é uma característica do povo brasileiro, mas sim do consumo.

Quem compra quer sentir-se diferenciado. Quem compra acha que tem o poder

Tratar o cliente como um rei é fundamental. Contudo, muitas vezes esse rei quer discrição, benefícios subliminares nada explícitos, que caracterizem que o usuário daquele serviço, produto ou marca, fez sua escolha baseado em apelos totalmente emocionais. Você conhece algum consumidor que declara racionalmente que usa um jeans da Diesel, perfume Armani, cartão de crédito platinium, tênis da Nike, anti-age Lancôme, meramente por atributos de qualidade? A verdade é que cada uma dessas marcas e produtos trás consigo a imagem que seus usuários buscam, para serem aprovados diante da sociedade ou de suas tribos.

O entendimento do fenômeno do consumo é mostrar a sua importância para os consumidores contemporâneos como forma de expressão e interação social. As mudanças tornam-se ainda mais interessantes quando efetuamos os cruzamentos por sexo, idade e classe social. A moda, tinha historicamente, criado uma associação forte entre feminilidade e a busca do estar na moda, onde se realça a importância da aparência na construção social da feminilidade. Logo, mulheres eram mais suscetíveis às mensagens de moda que os homens.

Contudo, o que podemos observar, é que hoje o homem não sente mais nenhum tipo de constrangimento em assumir-se vaidoso e estar na moda, chegando por vezes a superar os caprichos da mais vaidosa das mulheres. Está cada vez mais forte o conceito do compartilhado, onde roupas, cosméticos,massagens e clinicas estéticas são dividas por casais que habitam na mesma residência. Hoje, é comum a mulher sentar e tomar um drink enquanto espera seu parceiro acabar de dar os últimos retoques no seu visual antes de sair para uma festa. Isso num mundo onde os homens ainda pensam que são práticos! Até quando vão querer nos enganar?

O fato é a extrema importância da gerência de marketing,em direcionar os esforços para o desenvolvimento de significados simbólicos dos produtos, já que as pessoas os consomem como meios de comunicação com os outros. Produtos são providos de significado na sociedade; O estudo do simbólico, reside em entender como as pessoas compõem o seu próprio conceito, compram ou rejeitam os produtos que as identificam com a forma idealizada, impulsionadas pelas mensagens simbólicas dos mesmos.

O que passa ser interesse analisar, é que uma das versões mais antigas do marketing, o famoso 1 to 1, está cada vez mais presente como fórmula de sucesso nessa guerra acirrada de mercado. Realmente ninguém tem maior interesse e motivação em compreender o comportamento do consumidor, do que os próprios empresários e marqueteiros.

Muito antes do início do marketing contemporâneo, estes usavam várias maneiras para discernir o que seus compradores queriam. A maioria dirigiam pequenas empresas e conheciam seus clientes intimamente, e com isso, conseguiam projetar e oferecer um produto personalizado.

Concluímos portanto, que estes profissionais, demonstraram que a motivação e o comportamento, podem ser entendidos com precisão suficiente para reduzir consideravelmente o risco de fracasso de uma ação mercadológica.

Voltar